Get Adobe Flash player
Google
web neste site


Cocaína


A cocaína é extraída das folhas de uma planta encontrada exclusivamente na américa do sul, chamada Erythroxylon coca, conhecida como coca ou epadu, este último nome dado pelos índios brasileiros. Nos países onde é encontrada (Bolívia, Peru e Colômbia), suas folhas são mascadas ou tomadas em forma de chá para melhorar a adaptação à alta altitude, diminuindo a fome e o cansaço e melhorando a disposição das pessoas.


           
                                                            pé de coca
Um pouco de história

Os invasores espanhóis no século XVI levaram a planta para a Europa e ela era usada para o tratamento de depressão, fadiga, fraqueza e para dependência dos derivados do ópio, sendo vendida em farmácias como medicamento.

Também era usada na fabricação do Vinho Mariani, que era usado como fortificante, para fadiga e melhora da digestão. Este vinho foi usado até mesmo pelo Papa Leão XIII e por escritores famosos Julio Verne, Émiles Zola e Victor Hugo. Até na coca-cola era usado o xarope da coca, que foi substituído em 1903 pela cafeína.

No Brasil, a cocaína era utilizada para o tratamento de infecção na garganta e tosse. Em  1914, a venda e o uso  foram proibidos e o consumo quase desapareceu, retornando a partir daa década de 60.


Formas de apresentação da cocaína

Pasta Base Macerado das folhas , cal , solvente (querosene ou gasolina) e ácido sulfúrico
A pasta é tratada com ácido hipoclorídico, produzindo o Cloridrato de Cocaína (pó branco e sem cheiro)
Crack Pasta de coca ou pó, bicarbonato de sódio ou amônia, água e aquecimento. A pasta é transformada em pedras por meio deste processo
Merla Pasta de coca ou pó, acido sulfúrico, querosene ou gasolina

A cocaína na forma de pó é aspirada ou dissolvida em água e injetada na corrente sanguínea. Seu efeito no sistema nervoso central é semelhante ao das anfetaminas.


        
                                                cheirando cocaína

Efeitos do uso da cocaína
  • sensação intensa de euforia e poder
  • estado de excitação
  • hiperatividade
  • insônia
  • falta de apetite
  • perda de sensação de cansaço
Com doses maiores, observam-se outros efeitos, como irritabilidade, agressividade e até delírios e alucinações, que caracterizam um verdadeiro estado psicótico, a psicose cocaínica.
Ocorrem também dilatação pupilar, elevação da pressão arterial e taquicardia.
Também ocorrem aumento da temperatura corporal e convulções, frequentemente de difícil tratamento, que podem levar a morte.

Crack


O crack assim  como a merla e a pasta base, o crack é um  sub produto da cocaína, é  principalmente fumado, chega ao sistema nervoso central em 15 segundos, devido ao fato de a área de absorção pulmonar ser grande e seu efeito dura de 3 a 10 minutos, com efeito de euforia mais forte do que o da cocaína, após o que produz muita depressão, o que leva o usuário a usar novamente para compensar o mal-estar, provocando intensa dependência. 

Principais efeitos no organismo
  • Lábios, língua e garganta ressecados, tosse, congestão nasal, expectoração de muco escuro e dano aos pulmões
  • Cansaço intenso, tremores, depressão, desisteresse sexual, apatia, alucinações, delírios  e sintomas paranóicos (sensação de estar sendo perseguido ou vigiado)
  • Comportamento violento e muitas vezes inadequado.
  • abandono dos hábitos de higiene e cuidados pessoais

Como o crack é uma das drogas de mais altos poderes viciantes, a pessoa, só de experimentar, pode tornar-se um viciado. Ele não é, porém, das primeiras drogas que alguém experimenta. De um modo geral, o seu usuário já usa outras, principalmente cocaína, e passa a utilizar o crack por curiosidade, para sentir efeitos mais fortes, ou ainda por falta de dinheiro, já que ele é bem mais barato por grama do que a cocaína.


    
                                                            menor fumando crack

O uso do crack e sua potente dependência psíquica frequentemente leva o usuário à prática de delitos, para obter a droga. Os pequenos furtos de dinheiro e de objetos, sobretudo eletrodomésticos, muitas vezes começam em casa. Muitos dependentes acabam vendendo tudo o que têm à disposição, ficando somente com a roupa do corpo. Se for mulher, não terá o mínimo escrúpulo em se prostituir para sustentar o vício. O dependente dificilmente consegue manter uma rotina de trabalho ou de estudos e passa a viver basicamente em busca da droga, não medindo esforços para consegui-la.

Embora seja uma droga mais barata que a cocaína, o uso do crack acaba sendo mais dispendioso: o efeito da pedra de crack é mais intenso, mas passa mais depressa, o que leva ao uso compulsivo de várias pedras por dia.

O uso conjunto da cocaína e álcool leva a formação de um composto chamado "cocaileno", que é uma substância mais ativa do que as duas substância separadas. O cocaileno permanece no organismo por períodos três vezes maior que a cocaína, sendo assim muito  mais tóxico.

Efeitos físicos e psíquicos do uso agudo da cocaína:
  • As anfetaminas provocam dependência física e psíquica, podendo acarretar, com seu uso freqüente, tolerância à droga, assim como a sua interrupção brusca, síndrome de abstinência.
  • Consumidas por via oral ou injetadas, são consideradas psicotrópicos estimulantes, por induzir a um estado de grande excitação e sensação de poder, facilitando a exteriorização de impulsos agressivos e incapacidade de julgar adequadamente a realidade.
  • O uso prolongado pode provocar forte dependência, sendo que no extremo podem surgir alucinações e delírios.
  • Agitação, prejuizo do julgamento
  • Taquicardia, aumento da pressão arterial e arritmias cardíacas
  • Suor, calafrios, dilatação das pupilas
  • Alucinações ou ilusões visuais e táteis
  • idéias paranóides (sensação de estar sendo perseguido ou de que alguém quer prejudicá-lo ou atacá-lo)
  • Convulsões
Efeitos físicos e psiquicos do uso crônico da cocaína:
     
     No coração:
  • diminuição da quantidade de oxigênio, glicose e outros nutrientes transportados pelo sangue
  • aceleração dos batimentos cardíacos, aumento da pressão arterial, podendo levar ao infarto agudo e arritmias cardíacas que podem ser fatais
     No cérebro:
  • acidentes vasculares cerebrais (derrames)
  • convulções semelhantes à epilepsia
  • isquemia (insuficiente chegada de oxigênio, glicose e nutrientes ao organismo)
  • diminuição da atenção, concentração e memória
  • alterações pulmonares quando a cocaína é fumada (crack, merla) semelhantes a um quadro de pneumonia grave, que pode ser fatal
  • inicialmente aumenta a excitação sexual, porém após algum tempo de uso, observa-se diminuição do impulso sexual e impotência
  • o uso durante a gravidez pode causar retardo do desenvolvimento do feto e até a sua morte
  • o uso injetável traz o risco de transmissão de doenças como a AIDS e as formas B e C de Hepatite
Sintomas da Síndrome de Abstinência:
  • depressão, ansiedade, irritabilidade
  • perda no interesse ou prazer nas coisas que gostava
  • fadiga, exaustão
  • insônia ou sonolência diurna
  • agitação
  • aumento do apetite
  • desejo (fissura), vontade muito intensa pela droga
Algumas pessoas já tem problemas psíquicos antes mesmo de iniciar o uso de drogas, e o uso só piora estes problemas. É comum que pessoas que usam cocaína tenham depressão, ansiedade, timidez excessiva ou problemas psiquiátricos graves. Estes problemas que ocorrem ao mesmo tempo são chamados de co-morbidades.



Get Adobe Flash player